quarta-feira, 31 de março de 2021

Sobrinho de Jair Bolsonaro, Léo Índio é exonerado de cargo do Senado


Na tarde desta quarta-feira (31), o primo dos filhos do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), Leonardo Rodrigues de Jesus, mais conhecido como Léo Índio , foi exonerado da Diretoria-Geral do Senado. Ele trabalhava no gabinete do senador Carlos Viana (PSD-MG), vice-líder do governo no Senado. As informações são da coluna do Lauro Jardim para o jornal O Globo .

De acordo com a publicação, Léo Índio , que foi acomodado no Senado a pedido do governo, estava incomodando a cúpula da Casa por suas postagens nas redes sociais, que geralmente traziam mensagens alinhadas a Bolsonaro, criticando governadores e as medidas de combate à pandemia de Covid-19, como o uso de máscaras.

Antes de ocupar o cargo na diretoria, Léo Índio fazia parte da equipe do senador Chico Rodrigues (DEM-RR), flagrado escondendo R$ 33 mil na cueca durante operação da Polícia Federal (PF) em sua casa em outubro do ano passado . Depois do ocorrido, Léo Índio sofreu pressão de membros do governo federal e pediu exoneração do gabinete de Rodrigues.

Fonte: IG

Suspeito de ameaças a Camilo Santana já foi condenado por estupro, apontam investigações


Identificado pela Polícia Civil do Ceará, o homem suspeito de ter feito ameaças de morte ao governador Camilo Santana (PT) já foi condenado por estupro. A informação foi revelada nesta quarta-feira (31), pelo secretário Sandro Caron, da Segurança Pública e Defesa Social. Segundo o titular da Pasta, o suspeito confessou o crime.

“Ele foi identificado, interrogado e confirmou o áudio. Também foi cumprido um mandado de busca na residência dele (…) As investigações seguem. Ele já é um criminoso que tem condenação por estupro, mas o processo está em fase de recursos, por isso está solto”, disse Caron.

Outros suspeitos

Ainda de acordo com o secretário, outras pessoas são suspeitas de envolvimento com o crime. As ameaças ao governador foram reveladas com exclusividade pelo jornalista Inácio Aguiar, no Diário do Nordeste. O áudio do suspeito teria sido enviado em um grupo de Whatsapp formado por membros que se dizem contrários às medidas restritivas adotadas no Estado.

No áudio, o homem chama Camilo Santana e outros políticos cearenses de “bandido” e relata que tem “amigos militares” que teriam “o olho quente”.

“Vou ser sincero com vocês: tinha uma galera aí doida para pegar o governador… É porque sumiu (sic). Mas não tá fácil pra ele escapar não. Tem um bocado de menino bom aí doido para pegar ele, pra comer a cabeça dele. É grana, viu? E eu estou dentro”, diz o homem.

Ameaças de bomba

Não é a primeira vez que as ações de combate à pandemia deixam o governador sob ameaça de morte. Em julho do ano passado, investigações indicaram que pelo menos dois homens criaram um plano, pela internet, para jogar bombas caseiras na residência oficial do Estado. Ambos foram detidos e, em seguida, liberados.

Mobilização política

Após a divulgação da ameaça, políticos e outras lideranças manifestaram apoio ao governador do Ceará. Nesta quarta-feira (31), mais de 200 movimentos e organizações sociais divulgaram uma carta em apoio a Camilo Santana.

“O momento exige unificação de esforços, solidariedade e respeito à vida como o bem mais precioso que existe. É exatamente isso que motiva essa manifestação de apoio assinada pelas mais diversas organizações e movimentos sociais do nosso estado, independente de suas convicções políticas, ideológicas e crenças religiosas”, afirmam.

Em repúdio ao áudio, deputados estaduais aprovaram, na terça-feira (30), de forma unânime, uma moção de solidariedade ao governador.

“Esse tipo de ameaça põe em risco a integridade física e moral de toda uma sociedade. É algo tão sério, diante de decisões difíceis tomadas no combate à pandemia, que beira o absurdo”, destacou o presidente da Casa, Evandro Leitão (PDT).

Na Câmara Municipal de Fortaleza, vereadores manifestaram solidariedade a Camilo Santana. O presidente do Legislativo municipal, o vereador Antônio Henrique (PDT), aproveitou para defender as medidas adotadas pelo Estado durante a pandemia, ressaltando “o trabalho incansável do governador”.

Houve apoio também da bancada federal. Em nota conjunta, deputados federais classificaram o ato como “mais uma prática de criminosos que tentam, por meio da violência e do autoritarismo, confrontar o trabalho árduo que vem sendo conduzido para tentar minimizar os graves impactos da pandemia na vida do povo cearense”.

Dos 22 parlamentares que representam o Estado na Câmara dos Deputados, cinco não assinaram a manifestação: Capitão Wagner (Pros), Danilo Forte (PSDB) , Dr. Jaziel (PL), Heitor Freire (PSL) e Vaidon Oliveira (Pros). Todos são de oposição.

Fonte: Diário do Nordeste

Pagamento do novo auxílio emergencial começa na próxima terça-feira


O presidente da República, Jair Bolsonaro, o ministro da Cidadania, João Roma, e os presidentes da Caixa, Pedro Guimarães, e da Dataprev, Gustavo Canuto, anunciaram hoje (31) que o pagamento do auxílio emergencial começa na próxima terça-feira (6).

No último dia 26, foi publicado decreto que regulamenta o pagamento do auxílio emergencial 2021, instituído no último dia 18 de março por meio de Medida Provisória.

O apoio financeiro será pago a trabalhadores informais de baixa renda e aqueles inscritos em programas sociais como o Bolsa Família, caso o novo benefício seja mais vantajoso.

Milhões de famílias em situação de vulnerabilidade social começam a receber, na próxima terça-feira (6), a primeira das quatro parcelas do novo auxílio emergencial. O governo federal prevê conceder o benefício a cerca de 45,6 milhões de pessoas, este ano.

Os recursos serão depositados nas contas digitais que abertas pela Caixa para os beneficiários no ano passado.
Calendário

Na terça-feira, começam a receber os trabalhadores informais, microempreendedores individuais, desempregados e outras pessoas afetadas pela pandemia da covid-19 nascidas no mês de janeiro, além de integrantes do Cadastro Único do governo federal.

Beneficiários do Bolsa Família receberão de acordo com o calendário habitual do programa, que, em abril, começa a ser pago no dia 16.

As pessoas não terão direito a sacar os recursos no mesmo dia em que receberem, conforme explicou o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, durante anúncio feito no Palácio do Planalto, esta manhã.

O objetivo do escalonamento é motivar as pessoas a usarem os dispositivos digitais e, assim, evitar a ida a bancos e agências lotéricas.

“Nossa expectativa é que mais da metade das pessoas realize o pagamento de contas digitalmente”, disse Guimarães. “Já temos tudo muito bem organizado. Vamos minimizar as filas, pagando o mais rápido possível, com o mínimo de aglomeração possível”, acrescentou Guimarães.

O calendário completo de pagamentos e saques consta da Portaria nº 622, que o Ministério da Cidadania publicou hoje (31), no Diário Oficial da União. Cerca de R$ 44 bilhões foram destinados ao auxílio emergencial por meio da promulgação da Emenda Constitucional 109/2021, a chamada PEC Emergencial.

A emenda constitucional abriu caminho para que o governo federal ultrapasse o limite do teto de gastos, sem comprometer a meta de resultado fiscal primário e sem afetar a chamada regra de ouro (espécie de teto de endividamento público para financiar gastos correntes).
Parcelas

Conforme destacou o ministro da Cidadania, João Roma, durante o anúncio desta manhã, as quatro parcelas de, em média, R$ 250, serão pagas a uma pessoa por família, sendo que mulheres chefes de família receberão R$ 375, enquanto indivíduos que vivem só – família unipessoal – receberão R$ 150.

Do valor total estabelecido pelo Congresso Nacional, R$ 23,4 bilhões serão destinados ao público já inscrito em plataformas digitais da Caixa, R$ 6,5 bilhões para integrantes do Cadastro Único do Governo Federal e R$ 12,7 bilhões para atendidos pelo Bolsa Família.

Com informações Agência Brasil

Governo Bolsonaro pagou cachês milionários a influenciadores para defender "atendimento precoce" contra Covid-19


Mais de R$1,3 milhão dos cofres do governo federal foram utilizados para pagar ações de marketing com influenciadores sobre a Covid-19. O valor foi investido pelo Ministério da Saúde e pela Secretaria de Comunicação (Secom) e inclui R$85,9 mil destinados ao cachê de 19 “famosos” contratados para divulgar estas campanhas em suas redes sociais.

Em janeiro deste ano, a Secom contratou quatro influenciadores, que receberam um montante de R$23 mil para falar sobre “atendimento precoce”. A verba saiu de um investimento total de R$19,9 milhões da campanha publicitária denominada ‘Cuidados Precoce COVID-19’.

A ex-BBB Flávia Viana recebeu, sozinha, R$11,5 mil, segundo os documentos obtidos.

No roteiro da ação, obtido pela Agência Pública através de um pedido via Lei de Acesso à Informação (LAI), a Secom orientava a ex-BBB Viana e os influenciadores João Zoli (747 mil seguidores), Jéssika Taynara (309 mil seguidores) e Pam Puertas (151 mil seguidores) a fazer um post no feed e seis stories – todos no Instagram – dizendo para os seguidores que, caso sentissem sintomas da Covid, era “importante que você procure imediatamente um médico e solicite um atendimento precoce”.

Viana, que fez o seu post em 14 de janeiro, enquanto Manaus vivia o auge do colapso na rede hospitalar, recebeu quase 33 mil likes. Pam Puertas e Jessika Taynara fizeram seus posts nos dias 12 e 13 de janeiro, respectivamente, e a reportagem não encontrou no feed de João Zoli a postagem publicitária. A Agência Pública entrou em contato com os quatro influenciadores, porém não recebeu resposta até o fechamento desta reportagem.

No texto-guia, ou briefing, desta ação, os quatro influenciadores foram orientados a posar de maneiras diferentes, alguns com a máscara no rosto e álcool gel na mão, outros lavando a mão. O texto pelo qual os influenciadores deveriam se guiar para fazer seus posts dizia: “Hoje quero falar de um assunto importante, quero reforçar algumas formas de se prevenir do coronavírus. Vamos nos informar e buscar orientações em fontes confiáveis. Não vamos dar espaços para fake news. Com saúde não se brinca. Fiquem atentos! E se identificar algum sintoma como dor de cabeça, febre, tosse, cansaço, perda de olfato ou paladar, #NãoEspere, procure um médico e solicite um atendimento precoce”. O texto trazia ainda a recomendação do uso da máscara e higienização das mãos com água e sabão ou álcool gel.

Em ofício que acompanha a resposta da LAI, a Secom esclareceu que, do valor total, R$987,2 mil foram destinados à produção das peças – filmes para TV, spot para rádio, vídeos e banners para internet e peças para mídia exterior – enquanto o valor restante (R$ 18,9 milhões) foi destinado à veiculação e divulgação do material produzido. Não há detalhamento dos gastos com ações de marketing de influência.

Uma das peças de TV veiculadas em outubro focava na hashtag “NãoEspere”, presente no texto-guia entregue aos influenciadores. As ações foram pensadas no bojo da campanha anunciada pela pasta no fim de setembro de 2020 para estimular o cuidado precoce.
Tratamento precoce” X “atendimento precoce”

Nem o briefing da ação, nem as postagens dos influenciadores contratados traziam menção ao “tratamento precoce” para Covid-19 com uso de medicamentos como cloroquina e ivermectina. Porém, na própria campanha oficial sobre “atendimento precoce” veiculada nos sites do governo, os termos “atendimento” e “tratamento” se confundem.

“O tratamento precoce comprovadamente aumenta as chances de recuperação e diminui a ocorrência de casos mais graves e, consequentemente, o número de internações”, diz o release – que depois recomenda ações como as divulgadas pelos influenciadores: lavar as mãos, usar máscaras, entre outras.

No dia 16 de janeiro, uma postagem do Ministério da Saúde no Twitter foi marcada como “publicação de informações enganosas e potencialmente prejudiciais relacionadas à COVID-19” por mandar os cidadãos que tivessem sintomas buscar uma UBS e solicitar o “tratamento precoce”.

A confusão entre os termos esteve presente, também, no discurso do ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello. No dia 18 de janeiro deste ano, ele negou ter recomendado “tratamento precoce” à população, afirmando que o que era recomendado pelo Ministério era o “atendimento precoce” – o que não é verdade.

Um ofício enviado pelo Ministério da Saúde à Secretaria de Saúde de Manaus em 7 de janeiro – na semana em que os influenciadores faziam suas postagens no Instagram – previa uma visita de técnicos do Ministério para difundir e aprovar “o tratamento precoce como forma de diminuir os internamentos e óbitos decorrentes da doença” e ressaltava “a comprovação científica sobre o papel das medicações antivirais orientadas pelo Ministério da Saúde”.

Ainda enquanto ministro interino, Pazuello assinou um protocolo do Ministério da Saúde que permite o uso da cloroquina para a Covid-19. O protocolo é usado por diversos governos municipais para distribuir o medicamento a seus cidadãos, conforme denunciou a Agência Pública no ano passado.

Em outubro do ano passado, a Organização Mundial da Saúde (OMS) já havia publicado um estudo que demonstrava a ineficácia de diversos medicamentos, incluindo muitos do “tratamento precoce” brasileiro, contra a Covid-19. Durante a reunião que aprovou o uso emergencial das vacinas Coronavac e de Oxford, em janeiro deste ano, técnicos da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) reforçaram a inexistência de tratamento precoce para o coronavírus.

Mais recentemente, em fevereiro, uma pesquisa no Amazonas comprovou o efeito contrário: pacientes que tomaram remédios do “tratamento precoce” para evitar ou tratar sintomas iniciais da Covid-19 tiveram maiores taxas de infecção que aqueles que não tomaram nada.

Paralelamente à ação com influenciadores liderada pela Secom, o Ministério da Saúde lançou a plataforma “TrateCov”, que recomendava cloroquina até para bebês. O Conselho Federal de Medicina pediu, em nota, que o aplicativo fosse removido “imediatamente” pelo Ministério. O aplicativo saiu do ar em 20 de janeiro, menos de uma semana depois de seu lançamento.

“Tratamento precoce não existe. A gente não tem ainda nenhum medicamento comprovado que possa diminuir esses sintomas [de covid-19]”, afirma a epidemiologista Ethel Maciel. Ela explicou que atendimento precoce e tratamento precoce são coisas diferentes. “O atendimento precoce seria a pessoa procurar o sistema de saúde nos primeiros sinais de sintomas”. Mas criticou a campanha realizada pelo Ministério, considerando a superlotação das unidades de saúde e a falta de coordenação.

“Não adianta você fazer um chamamento para as unidades que já estão lotadas se não tiver um plano de ampliação desses locais”, disse.

Secom diz que não mantém ata de reunião sobre influenciadores

No dia 15 de janeiro de 2021, a Secom realizou uma reunião cujo tópico era ‘Influenciadores’, segundo agenda do Coordenador-geral de Mídia, Luiz Antônio Oliveira Alves. A Agência Pública solicitou, por meio da LAI, a ata da reunião. Na resposta, a Secom afirmou que não é de praxe manter ata ou gravação de reuniões, por se tratar de assuntos internos e rotineiros, mas esclareceu que nesta reunião discutiu-se “questões envolvidas no emprego de influenciadores digitais como complemento aos esforços de mídia das ações de divulgação desta Secretaria.”

Já o Ministério da Saúde tem pagado influenciadores digitais para campanhas relacionadas à pandemia de coronavírus desde março de 2020. A primeira campanha com essa temática custou R$400 mil, para o pagamento de cinco influenciadores digitais, segundo documento obtido via LAI pela organização Fiquem Sabendo. As personalidades de Instagram Vovó de Seis (68 mil seguidores) e Vovó Janete (13 mil seguidores), que publicam conteúdos sobre família e bem-estar, receberam cachês de R$3 mil e R$1 mil, respectivamente, assim como os youtubers NerdShow e Professor Paulo Jubilut, que juntos somam mais de 1,8 milhão de inscritos em seus canais.

No briefing, os influenciadores foram orientados a falar sobre cuidados básicos como lavar as mãos, uso de álcool gel e tossir nos cotovelos. Isolamento e distanciamento social não foram mencionados como estratégias de prevenção da doença.

Janete Stapf, a Vovó Janete, contou à Pública ter sido procurada pela agência TubeLab, a qual mediou seu contato com o MS. Foi instruída a publicar três vídeos curtos em seus stories, além de um post no seu feed do Instagram, que lhe renderam R$1 mil. “Tudo que publico é visualizado muito rapidamente. E eu sempre respondo, nem que seja só com um coração”, ela explica.

Janete conta que as instruções da campanha foram enviadas por WhatsApp pela representante da agência que a contatou. “Na época, me pediram para focar no ato de lavar as mãos. Não falaram de máscaras, por exemplo”, lembra. Foi Janete quem enviou os resultados dos seus posts e o engajamento gerado para a agência.

Em maio de 2020, uma campanha propagandeava o TeleSUS, plataforma de medicina remota do Ministério da Saúde. A campanha custou R$500 mil e pagou cinco influenciadores digitais, entre eles a ex-BBB Flávia Viana e a dupla sertaneja Henrique e Diego. Viana recebeu R$10 mil, Henrique e Diego receberam R$3 mil, o youtuber Igão recebeu R$6 mil e Nanda Caroll e Camila Loures receberam R$5 mil e R$7,5 mil, respectivamente.

O descritivo da campanha sobre o TeleSUS diz que a estratégia consistia em informar sobre o coronavírus e difundir métodos de prevenção.

Outra campanha, veiculada em julho e que também custou R$400 mil, foi dedicada ao desenvolvimento infantil e envolveu a contratação de outras cinco influenciadoras – todas elas mães. No descritivo da campanha, a agência R2 Produções e Eventos detalhou que o objetivo era apresentar “estratégias e meios de estimular o desenvolvimento de nossas crianças durante a pandemia (COVID-19)”.

O processo de contratação de influenciadores envolve agências licitadas pelo Executivo, como Artplan, Calia e NBS, que fazem a intermediação. As três seguem ganhando licitações anuais do governo desde, pelo menos, 2017. Em agosto de 2020, a Secom renovou novamente a licitação das empresas por mais 12 meses. A Artplan, cliente da empresa de marketing do antigo chefe da Secom, Fabio Wajngarten, recebeu o maior número de verbas publicitárias em 2019.

Entre janeiro de 2019 e dezembro de 2020, foram investidos mais de R$10 milhões em marketing de influência apenas pelo Ministério da Saúde, incluindo campanhas de combate à tuberculose, de doação de sangue, de prevenção das infecções sexualmente transmissíveis (ISTs) e de vacinação contra o sarampo.

Em 2020, apenas 27% do total gasto no ano – R$4,8 milhões – foi para ações relacionadas à pandemia de coronavírus.

Fonte: Yahoo Notícias 

Brasil registra novo recorde diário com 3.869 mortes por covid-19


Nesta quarta-feira (31), o Brasil registrou 3.869 novas mortes em decorrência da covid-19 nas últimas 24 horas.

Os números foram divulgados pelo Conass (Conselho Nacional de Secretários de Saúde) e, com isso, o Brasil chega a 321.515 o número total de óbitos em razão da doença.

De ontem para hoje, foram registrados mais 90.638 novos casos, levando o total de notificações da doença no País para 12.748.747.

Fonte: Notícias ao Minuto

Ceará recebe 12º lote de vacinas contra Covid-19 nesta quinta; serão mais de 370 mil doses de imunizantes


O Ceará deve receber, nesta quinta-feira (1º), uma nova remessa de vacinas contra a Covid-19, segundo a Secretaria da Saúde do Estado (Sesa). Ao todo, serão 344 mil doses da CoronaVac, produzida no Brasil pelo Instituto Butantan, e 27.750 doses da Oxford/AstraZeneca. Esse será o 12º lote de vacinas e o maior que o Ceará recebe.

As duas vacinas devem ser aplicadas em duas doses em cada pessoa para garantir a imunidade. No Ceará, as doses serão todas aplicadas, sem retenção para a segunda dose.

Vacinas que o Ceará já recebeu:

1º lote: 229.200 mil doses da CoronaVac em 18 de janeiro

2º lote: 72.500 doses da Oxford/AstraZeneca 23 de janeiro

3º lote: 33.200 doses da CoronaVac em 25 de janeiro

4º lote: 115 mil doses da CoronaVac em 6 de fevereiro

5º lote: 80.500 doses da Oxford/AstraZeneca em 24 de fevereiro

6º lote: 49.200 doses da CoronaVac em 24 de fevereiro

7º lote: 115.600 doses da CoronaVac em 3 de março

8º lote: 109.800 doses da CoronaVac em 10 de março

9º lote: 187.400 doses da CoronaVac em 17 de março

10º lote: 162.600 doses da CoronaVac e 20.250 da Oxford/AstraZeneca em 20 de março

11 lote: 124.400 doses da CoronaVac e 33.700 da Oxford/Astrazeneca em 26 de março

Aplicação das vacinas

No Ceará, as vacinas são aplicadas em dois grupos prioritários: idosos e profissionais da saúde. Em Fortaleza, idosos de 68 anos ou mais já recebem as doses.

O Ceará já aplicou 1 milhão de doses do imunobiológico desde que começou a receber os imunizantes. A marca foi comemorada pelo governador Camilo Santana na manhã desta quarta-feira (31).

Fonte: G1

    Sem dono, R$ 162,6 milhões da Mega da Virada devem ir para a educação


    Mais de R$ 162,6 milhões - metade do prêmio pago na Mega da Virada do dia 31 de dezembro – continuam sem dono e prestes a serem repassados ao Fundo de Financiamento do Ensino Superior (Fies), do Ministério da Educação, destino dos prêmios esquecidos.

    A aposta foi feita em São Paulo pela internet e termina hoje, no fim do expediente bancário, o prazo de 90 dias para resgate da bolada.

    O sorteio mais cobiçado do país teve apenas dois vencedores para dividir o valor recorde de R$ 325,2 milhões, mas só o ganhador de Aracaju (SE) já não deve se preocupar mais com boletos no fim do mês.

    Ele retirou o dinheiro que ganhou: R$ 162,6 milhões. Seu nome não foi revelado, como ocorre com todos os ganhadores das loterias da Caixa.

    Por incrível que pareça, não são raros os apostadores que deixam o prêmio para trás. Segundo a Caixa, somente em 2020, R$ 311,9 milhões em prêmios não foram resgatados. Os valores levam em conta todas as modalidades e faixas de premiação como Dupla-Sena, Quina, Lotofácil, Lotomania e Loteca, que não foram retiradas no prazo.

    Para retirar o prêmio, além do bilhete, é preciso apresentar documento de identificação, como o CPF (Cadastro de Pessoas Físicas).

    Os números sorteados na Mega da Virada 2020 em dezembro último foram: 17 - 20 - 22 - 35 - 41 e 42.

    Fonte: Notícias ao Minuto

    ACOPIARA: Aposentado é encontrado sem vida dentro de casa no centro

    O fato aconteceu na manhã de ontem (30). Policiais militares foram acionados até a rua 10 de novembro, centro de Acopiara, para uma ocorrência de achado de cadáver.

    A vítima identificada como Ângelo Nogueira Leite, 73 anos, foi encontrado sem sinais vitais dentro de sua residência. O corpo do aposentado, não apresentava marcas de violência e foi levado ao Hospital municipal para ser atestado o óbito, possivelmente por morte natural.

    Fonte: Acopiara News

    ACOPIARA: CONTINUA RECOLHIMENTO DE PNEUS INSERVÍVEIS

    A Prefeitura de Acopiara, em parceria com a Secretaria do Meio Ambiente e Secretaria da Saúde, segue intensificando os trabalhos de recolhimento de pneus inservíveis em borracharias e terrenos baldios do município, com o objetivo de dar um destino correto aos mesmos.

    Essa ação, visa evitar a proliferação de doenças, como a dengue, a zica e a chikungunya durante o período chuvoso.

    Além disso, contribui também, para a preservação do meio ambiente, melhorando assim, a qualidade de vida da população acopiarense.



    Ceará atinge marca de 1 milhão de doses aplicadas de vacinas contra Covid


    O Ceará chegou a marca de 1 milhão de doses de vacinas contra a Covid-19 aplicadas em todo o Estado desde o início da campanha de vacinação. A informação foi compartilhada pelo governador Camilo Santana na manhã desta quarta-feira (31), em uma postagem nas redes sociais.

    "Montamos uma logística de distribuição imediata das vacinas, assim que os lotes chegam ao Ceará, com o uso de aviões, helicópteros e apoio terrestre. Esse esforço, somado ao trabalho incansável dos profissionais de saúde em todos os municípios, tem colocado o nosso estado entre os que mais aplicaram as vacinas recebidas, segundo levantamento nacional", escreveu em um trecho da postagem.

    Na publicação, o governador também citou a busca de adquirir novas doses do imunobiológico para imunizar o restante da população que ainda não foi vacinada.

    "Tenho lutado para a aquisição de mais vacinas para o Ceará, tanto vindas do Governo Federal, quanto pela compra direta, como a que fizemos, de 5,87 milhões de doses da Sputinik V. Não vou descansar até que todos os cearenses estejam vacinados", disse o gestor estadual.

    O governador Camilo Santana assinou contrato de intenção de compra de 5,87 milhões de doses da vacina russa, que podem chegar a partir de abril.

    Fonte: G1

    IBGE aponta que, em janeiro, 14,3 milhões estavam desempregados


    Os dados divulgados, nesta quarta-feira, pelo IBGE , com base na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), mostram estabilidade em comparação ao trimestre anterior, mas com um detalhe: taxa é a mais alta para um trimestre até janeiro. O número de pessoas desempregadas no Brasil, de acordo com a pesquisa, foi estimado em 14,3 milhões no trimestre encerrado em janeiro.

    Os números mostram que, embora a taxa de desocupação tenha ficado estável em 14,2% frente ao trimestre anterior, o índice é mais alto para um trimestre até janeiro. O IBGE registra, também, que o número de pessoas ocupadas aumentou 2% e chegou a 86 milhões. Ou seja, são 1,7 milhão de pessoas a mais no mercado de trabalho em relação ao trimestre encerrado em outubro.

    Com o aumento no número de ocupados, o nível de ocupação, que é o percentual de pessoas ocupadas na população em idade de trabalhar, ficou em 48,7%. A maior parte desse aumento na ocupação veio da população informal. O número de empregados sem carteira assinada no setor privado subiu 3,6% em relação ao trimestre anterior, o que representa um aumento de 339 mil pessoas. Já os trabalhadores por conta própria sem CNPJ aumentaram em 4,8% no mesmo período, totalizando 826 mil pessoas a mais. Os trabalhadores domésticos sem carteira, após crescerem 5,2% frente ao trimestre anterior, somam 3,6 milhões de pessoas.

    A perda de força no crescimento da ocupação, de acordo com a análise técnica do IBGE, vem principalmente da menor expansão na Indústria, no Comércio e na Construção. E em relação à posição na ocupação, o trabalhador por conta própria e o empregado no setor privado sem carteira permanecem sendo aqueles que estão contribuindo mais para o crescimento da ocupação no país. Com isso, a taxa de informalidade no trimestre encerrado em janeiro foi de 39,7%.

    Outro dado da pesquisa: os s trabalhadores do setor privado com carteira de trabalho assinada e os empregadores foram duas categorias que mantiveram estabilidade frente ao trimestre encerrado em outubro. Mas na comparação com o mesmo período do ano anterior, o cenário é de queda. São 3,9 milhões de trabalhadores com carteira assinada a menos no setor privado. Já a queda no número de empregadores foi de 548 mil pessoas.

    Com informação do IBGE

    Cemitério na Zona Norte de SP suspende sepultamentos por falta de espaço


    O Cemitério Nova Cachoeirinha, localizado na Zona Norte de São Paulo, suspendeu os sepultamentos por falta de espaço. A informação foi divulgada pelo Sindicato dos Trabalhadores na Administração Pública e Autarquias no Município de São Paulo (Sindsep) na noite de terça-feira e é fruto do colapso sanitário causado pela Covid-19.

    De acordo com a organização, não há mais espaço para a abertura de novas sepulturas. Em nota, ela explicou, inclusive, que será necessário realizar a exumação de corpos com mais de três anos de sepultamento, justamente para a liberação de locais para as cerimônias.

    A situação ocorre depois de o mesmo cemitério já ter sido incluído no contrato de aluguel de equipamentos para sepultamentos noturnos, uma vez que precisaram começar a enterrar corpos durante a noite por conta da alta demanda.

    “O Sindsep há décadas alerta para a falta de investimento no Serviço Funerário Municipal de São Paulo e para o seu sucateamento. No grave momento de recordes de sepultamentos na cidade de São Paulo, a situação fica evidente com o processo desenfreado de terceirizações”, destacou em nota.

    A organização, ainda, destacou a necessidade “urgente de recomposição dos quadros de trabalhadores do serviço público, a começar pelos profissionais aprovados no concursos públicos e que ainda aguardam convocação”, além de “investimento com a ampliação de novos cemitérios públicos na cidade”.

    São Paulo voltou a bater recorde de mortes

    São Paulo registrou novo recorde de mortes em 24 horas de segunda (29) para terça-feira (30). Foram 1.209 óbitos em decorrência da Covid-19 nas últimas 24 horas, de acordo com dados da Secretaria Estadual da Saúde. O recorde anterior de óbitos aconteceu da última quinta-feira (25) para sexta (26), com 1.193 pessoas mortas. É a primeira vez que o estado tem mais de 1.200 mortes em um dia desde o início da pandemia.

    Há uma semana, na terça-feira (23), o número de mortes registradas em 24 horas foi de 1.021. Com as novas mortes, agora, apenas o estado de São Paulo totaliza 73.462 vítimas do coronavírus.

    Fonte: Yahoo Notícias

    Descumprimento de medidas restritivas eleva casos de Covid entre jovens no Ceará, diz especialista


    Os casos graves de Covid-19 aumentaram 10% entre os jovens no Ceará durante a segunda onda da pandemia, de acordo com a plataforma IntegraSUS da Secretaria de Saúde do Estado do Ceará (Sesa).

    Segundo os profissionais da saúde que atuam na linha de frente de combate à doença, os idosos continuam sendo internando com mais frequência, mas os casos de internação dos jovens têm crescido de "forma preocupante".

    De acordo com especialistas, entre outubro de 2020 e 30 de março de 2021, foram registrados 127.343 casos de pessoas com essa faixa etária. Ou seja, pacientes com idade entre 15 e 39 anos. Já entre março a setembro de 2020 foram 115.910 casos. Um aumento de 9,8%. São 11.433 mil casos a mais.

    Dificuldades de cumprir o isolamento social

    Especialistas afirmam que, de modo geral, o jovem tem uma chance menor de desenvolver a forma grave da doença, mas existem fatores que podem complicar os casos. Os profissionais da saúde citam, por exemplo, o alto índice à recusa de algumas pessoas em fazerem o uso de máscara ou fazer a correta higienização das mãos.

    Outro fator apontado são as aglomerações e festas, constantemente flagradas e encerradas em operações da Polícia Militar e agentes de fiscalização dos municípios.

    O biomédico, Samuel Arruda, reforça da dificuldade do jovem cumprir as medidas restritivas determinadas pelo Governo do Estado. Outro fator que ele cita é a diminuição de testagens entre a faixa etária.

    “Primeiro a gente tem um fator base que é da dificuldade de o jovem permanecer a aderir às medidas de isolamento social. Outra coisa também é a testagem em massa. Não está testando mais. Onde estamos registrando mais casos. Jovens que antes passavam assim por assintomáticos os casos não eram percebidos. Agora com uma maior testagem eles acabam sendo diagnosticados”, afirmou.

    Fonte: G1

    Família perde 8 pessoas para a Covid-19


    O pai, a avó, cinco tios e uma prima. Oito sepultamentos por Covid-19 de pessoas da mesma família foram vivenciados pela vendedora Rebeca Paulain Almada, 23, de Parintins, no Amazonas.

    A família Almada perdeu sua matriarca, Jandira, 95, 5 dos 22 filhos que ela teve (Heloisa, 79, Heider Augusto, 76, Eduardo Jorge, 67, Gilberto, 61, e Zomar, 56), a neta e o genro de Jandira, Tereza Cristina, 40, e Eduardo Gomes, 57.

    No dia 22 de junho do ano passado, morreu Tereza Cristina. A primeira perda ficou deslocada da série que viria em 2021.

    Ela tinha apenas 40 anos e chegou a relatar na rede social o drama antes de morrer. "Pra complicar, pneumonia viral moderada e um agravante, tenho lúpus".

    Em janeiro deste ano, enquanto muitos parintinenses se aglomeravam nas ruas, Rebeca se via entre o hospital Jofre Cohen, o cemitério municipal São José e a transferência dos parentes graves para Manaus. "Eu não sabia o que fazer. Via o vale da sombra da morte na nossa casa."

    Parintins é uma das cidades mais atingidas pela Covid-19 no Amazonas, com 9.112 casos e 312 mortos, segundo dados da prefeitura desta segunda-feira (29).

    No dia 8 de janeiro, morreu Heloísa, no auge do contágio após o surgimento da variante P1. Uma semana depois a família perdeu Heider, em casa, onde montaram uma enfermaria.

    "Acabou o oxigênio, nós não conseguimos repor a tempo", relembra Rebeca.

    Três filhos de Jandira e o cunhado morreram antes de sua partida, no dia 21 de fevereiro.

    Jandira havia criado 22 filhos em Parintins. A notícia da morte da filha Heloísa a estremeceu.

    Mortes sem despedida. "Minha avó era forte. Mas quando a tia Heloísa morreu, ficou arrasada e disse que não suportaria mais viver. Foi quando decidimos não contar mais nada."

    Os domingos, os feriados e os aniversários da família Almada não deixavam dúvidas. Aqueles irmãos eram carne, unha e coração. As reuniões em família, as fotos, o violão sobre a perna, a cadeira de balanço, a rede. Tudo lembrava amor, união e felicidade.

    As filas de ambulâncias e de cortejos no Amazonas evidenciavam o colapso. "Meu pai adoeceu cuidando do meu tio Zomar", aponta Rebeca.

    A luta de Rebeca, então, passou a ser a de salvar o tio Eduardo Jorge e o pai, Gilberto. No dia 2 de março, já exausta, Rebeca perdeu o quinto tio. Morre Eduardo. Restava se agarrar às últimas forças pelo pai.

    O professor Gilberto, aos 61, intubado por complicações da Covid-19, sofreu um AVC no dia 14 e infelizmente tornou-se a oitava vítima da família. "Recebi a ligação me chamando ao hospital. Meu pai queria muito viver, ele lutou muito, mas havia pouco a ser feito. Quando eu vi os exames, eu sabia".

    Restou a saudade e um recado de Rebeca sobre o sofrimento na pandemia. "A minha família acabou se contaminando porque alguém não se cuidou. Evitamos aglomerações, fizemos de tudo. Essas pessoas que andam sem máscaras, vão aos bares abertos, elas carregam um pouco de culpa. Dá uma revolta na gente. Será que essas oito mortes foram em vão?"

    Fonte: Notícias ao Minuto

    terça-feira, 30 de março de 2021

    Janssen, a vacina de uma dose, é liberada pela Anvisa


    A Agência Brasileira de Vigilância Sanitária (Anvisa) concedeu nesta terça-feira certificado de boas práticas de fabricação à Janssen-Cilag Farmacêutica, produtora da vacina Janssen contra a Covid-19. O documento é necessário para a obtenção de registro de medicamentos biológicos.

    De acordo com comunicado da Agência Brasil, é este certificado que garante a aprovação da Anvisa no que diz respeito às práticas necessárias para assegurar a qualidade, eficácia e segurança dos medicamentos por parte das empresas que o recebem.

    Em relação ao insumo da Johnson & Johnson, a gerência geral de inspeção e fiscalização sanitária da Anvisa concluiu a análise das informações enviadas para as três companhias incluídas na cadeia global de fabricação. Elas participam das etapas do insumo farmacêutico ativo biológico, assim como da formulação e envase da vacina.

    “A Anvisa finalizou as análises de todas as fábricas citadas no pedido de autorização para uso emergencial protocolado em 24/03/2021. Todas as empresas envolvidas estão devidamente certificadas”, explicou em nota.

    A vacina Janssen foi a primeira contra a Covid-19 de apenas uma dose a receber a receber a autorização da Organização Mundial da Saúde (OMS).

    Por outro lado, a agência anunciou que negou a mesma certificação à fábrica indiana da empresa Bharat Biotech International, responsável pela fabricação do Insumo Farmacêutico Ativo Biológico, da Vacina Covaxin e pela formulação e envase da vacina.

    “A empresa poderá finalizar todos os estudos, validações e processos propostos em seu plano de ação para posteriormente requisitar à Anvisa uma nova certificação. Neste momento, deverão ser apresentados os estudos e alterações propostas concluídos e efetivados na rotina fabril, o que permitiria a avaliação da Anvisa e, mediante resultados satisfatórios, a concessão da certificação da empresa”, analisou.

    Vacina da Janssen será distribuída na Europa a partir de abril

    De acordo com informações da AFP, a vacina Janssen será distribuída na Europa a partir de 19 de abril. Ela foi a quarta a obter a autorização da Agência Europeia de Medicamentos (EMA), depois das da Pfizer-BioNTech, Moderna e AstraZeneca. Atualmente, é aplicada apenas nos Estados Unidos e África do Sul, mas já foi aprovada pelo Canadá.

    Para aumentar sua produção e responder à demanda, a Johnson & Johnson fechou vários acordos nesses últimos meses com laboratórios e terceirizados europeus, que serão responsáveis pela sua embalagem: Sanofi na França, Catalent na Itália e IDT Biologika na Alemanha.

    Fonte: Yahoo Notícias 

    Covid-19: Brasil tem novo recorde de mortes em 24h, com 3.780


    O Brasil registrou 3.780 novas mortes pelo novo coronavírus e 84.494 casos da doença nesta terça (30). Com isso, o total de mortos chegou a 317.646 e o de casos a 12.658.109, de acordo com o painel atualizado pelo Conass (Conselho Nacional dos Secretários de Saúde), um sistema próprio de informações que reúne dados de contaminados e de óbitos em contagem paralela à do governo.

    A marca de 3.780 óbitos é um novo recorde diário e apenas a quarta vez que o país tem mais de 3 mil mortes em um dia. Os outros três aconteceram na última semana, incluindo o então recorde, de 3.650 da última sexta (26).

    Na segunda (29), o país tinha 313.866 mortes e 12.573.615 casos confirmados de Covid-19, de acordo com o conselho.

    Fonte: Yahoo Notícias

    ACOPIARA: HOMEM É ENCONTRADO MORTO DEPOIS DE VÁRIOS DIAS DESAPARECIDO

    De acordo com informações, o corpo de um agricultor que estava desaparecido desde domingo, foi encontrado por populares no Sítio Floresta na manhã desta terça-feira dia 30. A localidade fica na zona rural, distante 10 km da sede do município.

    O corpo da vítima identificada como, Luiz Lopes da Silva, 51 anos, foi conduzido ao Hospital, e em seguida removido para o IML de Iguatu. O laudo da necropsia vai revelar a causa da morte. 

    Fonte: Acopiara News

    ACOPIARA: FISCALIZAÇÃO E ORIENTAÇÃO NO COMÉRCIO LOCAL

    Na manhã desta terça-feira, 30 de março, a Vigilância Sanitária de Acopiara juntamente com agentes da Guarda Municipal e da Polícia Civil realizaram mais uma ação de fiscalização nas proximidades de um estabelecimento bancário, em cumprimento aos decretos estadual e municipal e como também como ação de conscientização da população no que diz respeito ao cumprimento dos protocolos sanitários.

    De acordo com o Comandante da Guarda Municipal, J. Pereira, a Vigilância sanitária foi acionada por meio de denúncias anônimas para averiguação de aglomeração formada em frente a agência bancária na Av. Pedro Alves.

    No local, a fiscalização passou a orientar os populares sobre o distanciamento social nas filas da agência e averiguando se havia demarcação no chão (inclusive fora do banco) com espaçamento de, no mínimo, 1,5 metro uma da outra.





    ACOPIARA: VIVEIRO DE MUDAS PASSA POR LIMPEZA COMPLETA

    De acordo com o Secretário de Meio Ambiente de Acopiara, Danilo Bastos, o Viveiro de Mudas municipal, localizado nos Cambitos, passou por uma total limpeza em suas instalações. Devido às chuvas registradas nos últimos dias, muito mato cresceu ao redor e dentro do local, tendo que uma equipe ter que realizar a limpeza.

    Danilo Bastos disse que ao se montar um viveiro de mudas, a fase de planejamento é imprescindível para a melhoria em quantidade, variedade e qualidade. Há muito tempo, surgiu a necessidade de produzir mudas para os mais variados fins. Sendo a limpeza um dos pontos básicos para manter a qualidade e diversidade das mudas lá existentes.







    Estátua de 13 metros do Padre Cícero desaba sobre rua no Ceará


    Uma estátua de Padre Cícero localizada em Maracanaú, na Grande Fortaleza (CE), desabou sobre uma rua na manhã de hoje, quase atingindo um veículo e um ciclista que passavam pelo local. As imagens da queda da escultura foram capturadas pelo circuito de segurança de um estabelecimento nos arredores.

    No vídeo, que fez sucesso nas redes sociais, é possível ver alguns veículos passando pelo girador onde ficava a estátua. Um homem em uma bicicleta também se aproxima. De repente, o Padre Cícero de 13 metros desaba.

    "Rapaz, o susto foi grande. Eu ouvi um estrondo e a poeira já subiu. Só percebi que era a estátua que caiu depois que encostei o carro", disse o professor Flávio Barreto, uma das pessoas que testemunhou a queda da estátua.

    Segundo ele, a primeira reação da população local foi correr para ver se alguém havia se ferido, mesmo com a grande quantidade de escombros.

    "Foi tão rápido que não vimos se tinha gente perto. Dois carros encostaram e foram ver também, junto com uns comerciantes, mas, graça a Deus, ninguém se feriu", explicou.

    O UOL procurou a Prefeitura de Maracanaú, responsável pela manutenção do monumento, para obter um posicionamento.

    Por nota, o órgão informou que já havia pedido à Defesa Civil do município um laudo técnico sobre a condição estrutural da estátua. A solicitação, explicou a prefeitura, se deu após a gestão tomar conhecimento das avarias dispostas na peça.

    A nota acrescentou que a Defesa Civil recomendou a demolição da estátua e que a área já estava isolada. Ainda segundo o comunicado, equipes de limpeza estão no local realizando a retirada dos destroços.

    Fonte: Uol Notícias 

    Após lockdown, casos e óbitos por Covid no Ceará devem estabilizar antes da média no Brasil, aponta pesquisa


    Dados computados pelo Sistema de Monitoramento Preditivo (Simop), da Universidade Federal do Ceará (UFC), apontam que o estado deve chegar à estabilidade de casos confirmados e óbitos por Covid-19 em até 15 dias antes do que Brasil. A projeção apontada pelo estudo é que o Ceará tenha média móvel estável de casos já durante a primeira quinzena de abril e, de mortes, entre fim de abril e início de maio.

    Na visão do professor André de Almeida, do Departamento de Engenharia de Teleinformática, que gerencia as atividades do Simop, a possibilidade de o Ceará ficar com casos e óbitos por Covid-19 estáveis antes do país decorre do isolamento social rígido (lockdown), determinado pelo governador Camilo Santana em todo o território cearense no dia 13 de março deste ano. As medidas mais restritivas devem ocorrer até, pelo menos, o dia 4 de abril.

    "Se o Brasil todo tivesse adotado o lockdown, como aqui no Ceará, teríamos uma situação bem próxima da do Ceará, ou seja, esses platôs seriam na mesma época. Como o Brasil é muito heterogêneo e diversas regiões do País não adotaram o lockdown, esse atraso entre o que aconteceu no Ceará e o que tá acontecendo no Brasil de uma forma geral, em grande parte, explica o fato de que o Ceará está chegando num platô antes do que a média do País", afirma o pesquisador.

    Na epidemiologia, a estabilidade com altos índices é chamada de platô. Ele ocorre após aumento exponencial e se mantém por um período no topo para, então, começar a cair. O Ceará vem apresentando incremento de casos e óbitos provocados pela doença desde o início do ano, no que é considerado por especialistas como segunda onda. Do começo da pandemia até esta terça-feira (30), já foram confirmados 532.534 casos, dos quais 13.778 evoluíram para morte.

    Projeção para o Ceará

    "A tendência é que a gente comece a entrar agora numa zona chamada de platô, ou seja, uma zona na qual o crescimento no número de casos diários tende a diminuir e a se estabilizar", ressalta o professor André de Almeida.

    Isso deve durar até a primeira quinzena de abril, quando, então, a tendência deverá ser de queda no número de casos diários. O Simop analisa dados como a taxa de contágio da doença no estado e outros dados históricos extraídos da plataforma IntegraSUS, da Secretaria de Saúde do Estado do Ceará. Os números, porém, dependem do nível de isolamento social.

    Entre abril e maio

    A ferramenta também analisou que a demanda hospitalar no estado do Ceará deve crescer ainda mais durante o mês de abril. A estabilidade nessa variável deve começar apenas a partir da segunda quinzena de abril, atingindo nível de 100% de ocupação dos leitos durante o fim do próximo mês e a metade de maio.

    Conforme o estudo, a média móvel de óbitos provocados pela Covid-19, por sua vez, começa a atingir o platô entre o fim do mês de abril e o início de maio. A média, segundo André Almeida, é que os números de mortes pela doença fiquem estáveis três semanas após a estabilidade da média móvel de casos. Nesta leitura, o Simop aponta dois possíveis cenários: um otimista e um pessimista.

    No Ceará, a visão otimista é que haja um crescimento no número de mortes provocadas pela doença, mas menor, no qual, entre abril e maio, o estado registrará cerca de 140 óbitos, em média, por dia. No cenário pessimista, a estabilidade começa mais perto do início de maio e pode atingir mais de 160 mortes, em média, por dia.

    Fonte: G1