domingo, 9 de julho de 2017

Ônibus de banda de forró é alvejado por tiros durante assalto a banco

Os moradores do município de Ipueiras, a 298km de Fortaleza, e os integrantes da banda João Bandeira e Forró do Mestre passaram por momentos de pânico, na madrugada deste domingo (9). Por volta de 1h, cerca de 15 homens tentaram assaltar uma agência bancária da cidade e atiraram contra o ônibus do grupo, que passava pelo local no momento da ação.
Segundo o percusionista Francisco Vitor da Silva, os 16 integrantes do grupo seguiam no veículo para a cidade de Ipu, onde fariam um show. "Passamos no lugar errado, na hora errada. Atiraram na gente, provavelmente porque atrapalhamos a ação deles", lamenta o músico, declarando que outra apresentação que fariam neste sábado (09), em Meruoca, também foi cancelada. 
A proprietária da banda, Eliene Bezerra Nogueira, foi atingida por quatro disparos e socorrida à Santa Casa de Misericórdia de Sobral. O empresário do grupo, Elton Rodrigues da Costa, também foi conduzido à unidade de saúde após receber dois tiros na coxa.
De acordo com a Santa Casa de Sobral, Eliene Bezerra foi internada, passou por procedimento cirúrgico e segue em recuperação, em estado estável. Já Elton Rodrigues deu entrada no hospital para uma "consulta de urgência", recebendo alta em seguida.
Ação
Conforme informações da Delegacia de Ipueiras, o grupo de 12 a 15 assaltantes invadiu a agência e, ao ser interceptado pela Polícia Militar, iniciou uma intensa troca de tiros. O armamento portado pelos suspeitos, segundo sargento Robério, comandante da área, "era pesado, com armas de calibre 12, rifles e pistolas". O grupo fugiu em três carros e várias motos, espalhando pregos pelas estradas para impedir a perseguição das viaturas, que tiveram os pneus furados.
O agente de segurança afirma ainda que equipes policiais dos municípios de Nova Russas, Ipu, Ipueiras, Crateús e Santa Quitéria realizam diligências em busca dos envolvidos na ação criminosa. A reportagem entrou em contato com a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social do Ceará (SSPDS) para mais detalhes sobre o caso, mas não obteve retorno.

Fonte: Diário do Nordeste