quinta-feira, 27 de julho de 2017

Com 43 prisões, número de flagrantes de furtos de energia mais que dobra no Ceará

Quarenta e três pessoas foram presas em flagrante neste ano por furto de energia elétrica no Ceará. Segundo dados da Enel, companhia distribuidora de energia no estado, o número é maior que o dobro do registrado durante todo o ano de 2016, quando ocorreram 20 prisões.

Fortaleza é o município com mais registro, com sete pessoas presas. Em seguida vem Iguatu, com cinco, e Canindé, Russas, Juazeiro do Norte, Pentecoste e Icó, com três prisões cada.

A Enel diz que, além de ser crime, com pena prevista de um a oito anos de reclusão, o furto de energia afeta diretamente a qualidade do serviço elétrico e põe em risco a população, principalmente as pessoas que manipulam a rede elétrica. As ligações irregulares podem causar curtos-circuitos e sobrecarga na rede elétrica, ocasionando interrupção no fornecimento de energia.

A companhia explica ainda que a prática criminosa faz com que o consumidor sofra com a sobrecarga do sistema e as variações de tensão, que podem ocasionar a queima de eletrodomésticos.
Para solucionar o problema das perdas energéticas, a empresa vem realizando inspeções sistemáticas nas medições, acompanhamento online e na construção de redes elétricas anti-furto. Operações conjuntas entre a Polícia Civil e a Enel também foram intensificadas para realizar o flagrante do furto.

A Enel orienta que os clientes podem denunciar casos de furto de energia pela central de relacionamento, através do número 0800-285-0196.
Fonte: G1