segunda-feira, 13 de agosto de 2018

Homem mata sobrinha de 11 anos após ela perguntar a sua bisavó, “Qual é o problema com o tio?”

Delroy Forrester, 51 anos, deixou a pequena Jasmine Forrester com mais de 100 ferimentos espalhados pelo o corpo após o do ataque em 9 de fevereiro.

O tribunal ouviu o tio-avô que bateu na criança com uma perna quebrada na mesa, com parafusos saindo depois que ela perguntou a sua bisavó: “Qual é o problema com o tio Delroy?”

Policiais encontraram Jasmine na propriedade em Kent Road, Wolverhampton, depois que a avó Victoria, de 79 anos, deu o alarme por volta de uma hora da manhã.

Ela foi levada às pressas para o hospital, mas apesar dos melhores esforços dos médicos, ela morreu de ferimentos na cabeça e no pescoço, que incluíram “lacerações, cortes de feridas, escoriações e contusões”.

Apenas algumas horas antes do ataque, sua filha telefonou para uma equipe de saúde mental em um hospital para pedir ajuda, mas foi-lhes dito que não podiam, pois ele “não era considerado um risco”.

Sua filha, Tyler Forrester, disse a eles: “É melhor você se certificar de que ele não vai matar minha naninha hoje à noite”.

Na segunda-feira, o criminoso foi a julgamento no Wolverhampton Crown Court acusado de homicídio.

Ele admite ter matado Jasmine, mas nega o assassinato com base em que ele era “legalmente insano” na época.

Um júri de nove homens e três mulheres foi informado de como Forrester atacou Jasmine porque ele achava que ela era Satã e disse aos oficiais que o diabo tinha que morrer.

Jonathan Rees QC disse: “Jasmine foi o motivo de um ataque frenético e sustentado pelo réu, no decurso do qual ele usou uma perna de mesa quebrada para infligir ferimentos na cabeça catastróficos. Uma das muitas tragédias associadas a este caso é que o assassinato ocorreu na casa de Victoria Forrester.”

Victoria Forrester é a mãe do acusado e era a bisavó de Jasmine.

Tanto o réu quanto a criança estavam com Ms Forrester na noite em questão e, na verdade, foi Victoria Forrester quem acionou o alarme com um vizinho.

Fonte: MCEARÁ