sábado, 22 de julho de 2017

Neymar aceita contrato recorde com PSG; United se recusou a pagar multa

Neymar concordou em se transferir ao Paris Saint Germain no primeiro contrato de futebol da história a ultrapassar a marca de 1 bilhão de euros (3.65 bilhões de reais). A próxima etapa da negociação é o PSG pagar os 220 milhões de euros (800 milhões de reais), como exigido no contrato do brasileiro com o Barcelona.

O clube que pertence aos catarianos prometeu a Neymar um salário de 30 milhões de euros (110 milhões de reais) livres de impostos, o que eleva o acordo financeiro a mais de 500 milhões de euros (1.8 bilhões de reais) para cinco temporadas de contrato, colocando o atacante no mesmo patamar salarial de Lionel Messi depois de sua última renovação recorde com o Barça.

Manchester City e Manchester United mantiveram contato com o estafe de Neymar para tentá-lo tirar do Camp Nou nesta temporada. De acordo com fontes familiares às conversações, o City segue interessado no atacante de 25 anos, mas quer um desconto na multa rescisória.

Insatisfeito no Barcelona, Neymar foi simpático ao interesse do United no primeiro semestre deste ano, dizendo a José Mourinho que se comprometeria com a reformulação comandada pelo português em Old Trafford caso o clube se comprometesse a pagar a multa milionária. A quantia, no entanto, está acima do orçamento do Manchester United.

Os três clubes foram encorajados a seguir negociações com o atleta, insatisfeito no Barcelona e posteriormente irritado com a decisão do clube catalão em aumentar o salário de Messi em 62 milhões de euros (226 milhões de reais). Está claro que Neymar pediu aumento similar nas negociações para um novo contrato em 2016, mas a resposta foi que o Barcelona não teria como pagar tal quantia para mais ninguém.

Com a ambição de longo prazo em ser o melhor jogador do mundo, Neymar está ansioso para se mudar para um clube que o torne o ponto tático central de um time focado em vencer a Champions League. Ao fazê-lo, Neymar acredita que não apenas emergirá da sombra de Messi no Barcelona como também bater o argentino e Cristiano Ronaldo na votação de melhor jogador do mundo.

PSG tem focado sua grande fortuna em assegurar a primeira Champions League para o clube. Os franceses se constrangeram ao perder uma vantagem de 4-0 na primeira partida para o Barcelona nas oitavas-de-final da última Liga dos Campeões ao mesmo tempo em que perderam o título nacional para o Monaco.

A reposta do Catar foi contratar um novo diretor de futebol, o português Antero Henrique, ex-Porto, e o autorizou a investir 220 milhões de euros em reforços, mais o que ele conseguir da negociação de jogadores do atual plantel. Semana passada, o PSG melou a negociação entre Manchester City e Dani Alves oferecendo ao ala brasileiro, que seria uma das contratações-chave de Guardiola, um contrato 60% maior.

A posição oficial do Barcelona é que o clube não tem nenhum interesse em permitir que Neymar deixe o clube. “Vender Neymar não é algo que o clube cogitaria”, diz o advogado do Barça, Josep Vives. “Estamos calmos. Ele é um dos maiores jogadores que temos, não consideraremos nenhuma proposta que recebamos por ele”.

Uma segunda oferta para o jogador do Barcelona, no entanto, pode não ser ignorada. As finanças do clube estão apertadas e há a pressão para uma reestruturação agressiva do elenco que perdeu a Liga Espanhola para o Real Madrid na última temporada, enquanto deixou a Champions League nas quartas de final.

Por essas razões, pode soar bem para o Barcelona deixar claro o desejo de manter Neymar na Catalunha para posteriormente aceitar uma transferência sem precedentes. Dirigentes do PSG e Barcelona terão um encontro oficial nesta semana para discutir a transferência.

Fonte: Yahoo Notícias