quarta-feira, 5 de julho de 2017

Bombeiros prestam atendimento a crianças em Fortaleza e Iguatu e evitam complicações decorrentes de engasgo


Uma situação muito comum e que qualquer um de nós está sujeito a se deparar: presenciar ou ser vítima de engasgo. Destacamos aqui duas ocorrências atendidas recentemente pelo Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Ceará (CBMCE). A primeira, no dia 22 de junho, onde por volta das 11 horas, uma senhora corre desesperada em direção ao Quartel Central com sua filha de 1 ano e 4 meses, inconsciente. Sob os cuidados do 2º Tenente Erisvaldo e do Cabo Andreivy, foram realizadas técnicas de desengasgo aplicada em bebês, no caso, a da tapotagem, que consiste em virar a criança de bruços com a cabeça em um nível mais baixo que o resto do corpo e dar cinco tapinhas nas costas (região interescapular) associada com as compressões cardíacas (cinco compressões torácicas com dois dedos, indicador e médio). Após conseguirem desobstruir parcialmente as vias aéreas, a criança, agora com o auxílio do 2º Tenente Sérgio, foi prontamente conduzida ao Instituo Doutor José Frota, em Fortaleza. 

Outra ocorrência com final feliz se deu no último domingo (02), por volta das 21 horas, no município de Iguatu. A mãe do garotinho Pedro Henrique, de 1 ano e 5 meses, ligou muito aflita em busca de socorro para o quartel da região, a 1ª Seção do 4º Grupamento de Bombeiros. Por telefone, o Cabo Diego pediu para que a senhora tentasse manter a calma e seguisse suas instruções, ao mesmo tempo em que acionava dois socorristas para que se deslocassem na ambulância para a residência da vítima. Ao chegarem no local, cerca de três minutos após o acionamento, os socorristas, Subtenente Emílio e Cabo Adauto, já encontraram a situação contornada e puderam examinar a criança com mais calma, graças à habilidade da mãe em seguir os procedimentos passados por telefone pelo Cabo Diego. “É uma situação que exige calma e raciocínio rápido, já que cada minuto é decisivo. Ouvir o choro da criança do outro lado da linha é algo que nunca mais irei esquecer. Emociona demais”, conta o Cabo.

Para cada vítima é aplicada uma técnica diferente de desengasgo que varia de acordo com a sua compleição física. Saber identificar essa situação para o socorro imediato é fundamental. Em qualquer hora, ligue para o quartel do Corpo de Bombeiros mais próximo: 193 é o telefone que salva.




Fonte: SSPDS