sábado, 6 de maio de 2017

Secretaria de Saúde de Acopiara inicia trabalhos com pulverizadores costais no combate ao mosquito do Aedes Aegypti nas regiões de Trussu e São Paulinho

Os agentes de endemias do município de Acopiara deram início aos trabalhos nesta sexta-feira, 05 de maio, utilizando os pulverizadores costais, um equipamento que auxilia no combate aos focos do mosquito transmissor da dengue, chikungunya e zica, na região de Trussu e São Paulinho. Posteriormente, esses trabalhos também serão realizados em todo o município, para coibir a proliferação dessas doenças. Em breve, o mesmo também contará com o apoio do carro fumacê, já solicitado pela secretaria de saúde.
As chamadas “bombas jacto costais” são indicadas para uso em terrenos baldios, cemitérios, prédios antigos, restos de construções e ferros-velhos. Servem para evitar a proliferação de mosquitos nesses ambientes que não contam com manutenção diária, com a retirada de recipientes que possam conter água. Com elas, o inseticida é colocado nos locais onde há suspeita desses focos.
Constantemente, a secretaria de saúde do município, que tem à frente a secretária, Dra. Luciane Tavares, está planejando e executando ações juntamente com as outras secretarias, buscando medidas e soluções, para diminuir ou acabar de vez com o grande índice de pessoas infectadas pelas doenças causadas pelo mosquito do Aedes Aegypti.
O prefeito de Acopiara, Antônio Almeida Neto, e a Dra. Luciane, afirmam que a população também deve fazer a sua parte, evitar deixar água acumulada em recipientes, garrafas, pneus. Que a mesma também deve telar a caixa d’água da sua casa, para evitar a reprodução do mosquito. E se alguém estiver com o sintoma de uma das doenças, procurar o médico nos postos de saúde ou, nos hospitais. “Precisamos que a população se conscientize também, pois a nossa parte estamos fazendo. O carro fumacê só não chegou ainda no município, porque não temos notificações suficientes dos casos registrados nos postos, ou nos hospitais, pelo fato de algumas pessoas se automedicarem e não procurarem o médico, mas que o mesmo já foi solicitado desde quando começou essa epidemia de casos registrados de chikungunya no nosso município.” Disse a secretária.






Fonte: Assessoria de Comunicação/Prefeitura de Acopiara