quarta-feira, 15 de março de 2017

Instituto do Câncer do Ceará retomará atendimentos pelo SUS

Mesmo sem acordo com a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) para liberação de pagamento, o Hospital Haroldo Juaçaba - Instituto do Câncer do Ceará (ICC) retomará atendimentos de pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) a partir de hoje.  
A última reunião entre Prefeitura e hospital, realizada ontem, terminou sem cronograma para o parcelamento da dívida de R$ 27 milhões do poder público com o ICC. No encontro, a entidade se comprometeu, porém, a não paralisar atividades e a SMS, a pagar os valores de maneira integral, informou o superintendente clínico do ICC, Reginaldo Costa. 

De acordo com ele, a proposta apresentada pela Prefeitura não foi considerada “razoável” pela equipe do hospital. “Houve proposta de parcelamento bem acima do que a gente considerava razoável para o montante da divida. Mas, devido ao apelo social que existe e entendendo a precariedade dos serviços de saúde, a decisão foi pelo retorno”, explicou. 

O atraso no pagamento, que se arrasta desde setembro de 2016, culminou na suspensão de novos atendimentos do ICC pelo SUS no último dia 22 de fevereiro.  

A estimativa é de que cerca de 50 pacientes por dia deixaram de iniciar acompanhamento na unidade. 

“Não é questão financeira, mas relacionada à sustentabilidade da instituição. Como maior entidade de câncer, o ICC não poderia assumir posição de intransigência, mas solicita que a Prefeitura rediscuta”, frisa Costa. 

As negociações para o pagamento devem continuar com acompanhamento do Ministério Público do Estado do Ceará, que abriu inquérito civil e mediou reuniões. No início do mês, o Ministério Público Federal (MPF) do Ceará recomendou o pagamento das dívidas. A procuradora da República Nilce Cunha considerou que o hospital é a única unidade do Ceará a realizar o tratamento de câncer de maneira integralizada. 

No período em que os novos atendimentos ficaram suspensos, tratamentos já protocolados na instituição ocorreram normalmente. 

O POVO procurou a assessoria de imprensa da SMS no fim da noite de ontem, quando a informação chegou à redação. A secretaria disse que não poderia responder por causa do horário.
Fonte: O Povo