segunda-feira, 13 de março de 2017

Empresa rompe patrocínio com Boa, após acerto com goleiro Bruno

Após o anúncio da contratação do goleiro Bruno, um patrocinador rompeu contrato com o Boa Esporte Clube. O anúncio da Nutrends Nutrition – empresa de suplementos nutricionais – foi feito em uma rede social na noite deste sábado (11). O contrato do clube com o jogador deve ser assinado somente nesta segunda-feira (13), quando o jogador chegar a Varginha (MG).
No comunicado, a empresa diz que a partir de uma 'reunião extraordinária, a Diretoria da Nutrends® Nutrition decidiu que, a partir de hoje, a empresa não é mais patrocinadora/apoiadora do Boa Esporte Clube'.
Depois da publicação informando o fim da parceria, vários seguidores da empresa parabenizaram a atitude tomada. Em resposta a alguns comentários, a empresa diz que 'só para esclarecer, não nos pronunciamos antes porque recebemos a notícia no fim da tarde de sexta-feira. A direção não estava reunida e não tínhamos como publicar algo'.
Outro lado

Em nota oficial publicada no início da tarde deste domingo (12) e assinada pelo presidente do clube, Rone Moraes da Costa, o Boa Esporte afirma que "não foi o responsável pela soltura e liberdade do atleta Bruno, mas o clube e sua equipe, enquanto empresa e representada por seres humanos, dotada de justiça e legalidade, podem dizer que tentam fazer justiça ajudando um ser humano, mais, cumprem a legalidade dando trabalho a quem pretende se recuperar".  

No documento, o presidente diz ainda que "o tão procurado estado democrático de direito, a sociedade justa e fiel, a vida em sociedade, segundo critérios civilizados indicam de longa data que o criminoso colocado em liberdade deve ter atenção do estado, atenção suficiente para que possa restabelecer uma vida em sociedade. E ninguém pode negar que não existe vida em sociedade mais digna [do que a] vida no trabalho". 
Apresentação





Ainda segundo o clube, Bruno deve realizar exames cardiológicos em uma clínica local e depois testes físicos no IF Sul de Minas, em Muzambinho (MG), ainda na segunda-feira. Segundo a diretoria do Boa Esporte, o objetivo é que ele já inicie os treinamentos com o restante da equipe e volte a jogar entre 45 e 60 dias. 

O advogado do goleiro disse que ele recebeu propostas de várias equipes do país, mas que optou pelo clube de Varginha por lealdade.
Repercussão

O anúncio da contratação do goleiro Bruno Fernandes pelo Boa Esporte, na última sexta-feira, mudou a rotina dos moradores de Varginha (MG), no Sul de Minas Gerais. Na saída do restaurante onde almoçou com a noiva, Bruno foi assediado e posou para fotos com fãs. Enquanto o atleta se reunia com a diretoria em um hotel, moradores se aglomeraram em frente ao local para conseguir ver o goleiro, mas se dividiram em relação à contratação.

No entanto, nas redes sociais, a reação foi outra. Uma petição foi criada contra a contratação do jogador pelo Boa Esporte. E nas páginas oficiais do clube em redes sociais, os usuários comentaram em peso as últimas publicações - a maioria em tom crítico. 
Condenação e saída após 6 anos da prisão

Em 2013, Bruno foi condenado a 22 anos e 3 meses de prisão pelo assassinato e ocultação de cadáver de Eliza Samudio, sua ex-namorada, e também pelo sequestro e cárcere privado do filho Bruninho. No dia 24 de fevereiro deste ano, Bruno deixou a APAC de Santa Luzia (MG) por decisão do ministro Marco Aurélio Mello, do Superior Tribunal Federal (STF).
No dia em que o goleiro foi solto, o Boa Esporte negou que tinha interesse na contratação do jogador. Segundo informações divulgadas pelo Jornal Hoje em Dia, o advogado do jogador, Lúcio Adolfo, teria sido informado por um intermediário que o clube estaria interessado no jogador. 

Em fevereiro de 2013, a diretoria do Boa Esporte divulgou uma carta informando o interesse do clube em contratar o goleiro. Na época, o documento deixava claro a intenção do clube de esperar pelo jogador, que seria julgado naquele ano.

Fonte: G1