domingo, 29 de janeiro de 2017

Cid vive horas de angústia às vésperas da homologação da delação da Odebrecht

O ex-governador Cid Gomes vive horas de angústia. Os juízes auxiliares da equipe do ministro Teori Zavascki, morto no dia 19, concluíram as audiências com os 77 executivos da Odebrecht e a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Cármen Lúcia, deve homologar a delação da empreiteira até a próxima terça-feira (31).
O temor de Cid é ser delatado por João Pacífico, responsável pelo repasse de propinas da empreiteira no Nordeste, ou por Benedito Barbosa Júnior, que pode confirmar o uso da cervejaria Itaipava, do Grupo Petrópolis, em esquema de pagamento de propina a políticos. Atualmente, o ex-governador tem um galpão alugado à Itaipava, em Sobral.
Sistema adutor do Castanhão
Para piorar a situação de Cid, um consórcio entre a Odebrecht, Queiroz Galvão e Andrade Gutierrez foi o responsável pelos 66km do trecho do Sistema Adutor do Castanhão, no Ceará. A obra é uma das 38 investigadas pela Polícia Federal com participação da empresa e pode explicar os R$ 200 mil repassados ao "O Falso", codinome de Cid na lista da propina da empreiteira.
Delatados
Além de Cid, outros cearenses observam com apreensão a homologação da delação da Odebrecht pela presidente do STF. No total, serão 35 senadores, 14 governadores e ex-governadores e mais de cem deputados federais. Cid não é o único que teme ser delatado. Casos as suspeitas se confirmem, o ex-governador cearense pode cair nas mãos do juiz federal Sérgio Moro e acabar sendo preso.
Fonte: Ceará News 7