sábado, 15 de junho de 2019

Bebê faz coração com as mãos durante ultrassom

Ainda na barriga da mãe, Maria Valentina já mandou recado aos pais Ludmila Pereira e Francisco Manueres. É que na quinta-feira, 13, a pequena uniu por reflexo as mãos em forma de um coração, justo na hora do ultrassom.

A cena foi registrada na maternidade Bárbara Heliodora, em Rio Branco, capital do Acre. A fisioterapeuta Ludmila, 27, realizava o procedimento pré-natal quando o médico Wellington Ferreira percebeu o gesto de Valentina, e rapidamente registrou em foto. “Essa é uma ultrassom em 3D, que um médico me presenteou”, disse a mamãe grávida de sete meses em entrevista ao portal G1.

A mulher havia chegado há pouco à maternidade quando foi surpreendida pelo médico acompanhado por uma estudante de medicina, que escolheu Ludmila para realizar uma ultrassonografia 3D. A surpresa maior viria depois: como o exame converte ondas de som do útero em disposição imagética, é possível ver o bebê com volume, diferente da ultrassom tradicional. Quando a equipe médica acionou o aparelho, Maria Valentina fez o ‘coramão’.

“Quando [ele] se posicionou ela já estava assim. Foi muito rápido. Fiquei emocionada, perguntei se era possível e ele até brincou dizendo que um dia após o Dia dos Namorados era tudo possível”, relembra. À parte o inusitado, o gesto da bebê foi um reflexo mecânico, como explicou o médico, devido à luz intensa emitida pelo aparelho de ultrassom 3D. Diante da projeção luminosa, Valentina posicionou as mãos na tentativa de tapar o rosto.

Apesar da naturalidade do movimento, Wellington Ferreira também explica que a situação é incomum já que, de modo geral, os bebês já estão com as mãos próximas ao rosto, ao contrário da filha de Ludmila e Francisco. O pai, que não estava presente na ocasião, também ficou emocionado com a história. “Deixei ela na maternidade e depois ela me mandou a imagem. Ficamos impactados, porque não é voluntário e ficou nítido que era um coração. Estamos ansiosos para vê-la”, disse o papai, professor de educação física.

Ludmila e Francisco são casados desde 2016 e tentavam engravidar desde então. A fisioterapeuta enfrentava dificuldades por conta da endometriose, um distúrbio que afeta o tecido do útero e acaba por tornar difícil uma gravidez natural. Para ela, as chances eram de 2%. 

Com informações O Povo Online