sábado, 17 de junho de 2017

Ceará tem 9 cidades líderes em chikungunya e dengue no País

Fortaleza, Maranguape, Caucaia, Iguatu, Jaguaribara, Reriutaba, Acarape, Milagres e General Sampaio estão entre os municípios com maiores incidências de dengue e chikungunya do Brasil. Os dados são do boletim mais recente do Ministério da Saúde (MS), relativos à Semana 19, entre janeiro e maio desse ano.

Segundo o MS, na relação dos municípios com mais de um milhão de habitantes, a Capital cearense lidera com incidência de 291,4 casos de chikungunya a cada grupo de 100 mil pessoas. Os dados são de abril, explica o órgão federal.

Os números de maio são relativos até a semana 19, ou 13 de maio e aí também Fortaleza está em primeiro lugar com 17,7 mil casos comprovados e incidência acumulada entre janeiro e maio de 680,6 ocorrências positivas para cada 100 mil habitantes. Em casos da dengue, a Capital também chama atenção pelo número da doença, com 8.6 mil comprovações em laboratório e incidência acumulada no ano de 332,5 ocorrências para 100 mil habitantes. Goiânia, em Goiás, o total de registros da enfermidade soma sete mil, com incidência de 488,1 para o mesmo grupo de pessoas. No entanto, a Capital goiana tem um menor número de habitantes, com 1.5 milhão, enquanto a cidade de Fortaleza possui 2,5 milhões.
Maior
O que chama atenção da lista dos municípios com até 100 mil habitantes, é General Sampaio. Segundo dados do Ministério de abril, a incidência de chikungunya na cidade chegou a 3.856,8 casos, sendo a maior do Brasil. Até o dia 13 de maio, no acumulado, o município cearense apresenta relação entre número de casos e total da população de 5.054,8 confirmações para cada grupo de 100 mil pessoas.
Na listagem da dengue, Jaguaribara e Milagres também aparecem entre os primeiros. Sendo o primeiro, com incidência de 491,1casos em maio e o segundo com 590,3 confirmações para a doença pelo mesmo número de pessoas. Nos municípios entre 100 a 499 mil habitantes, outros três cearenses encabeçam a lista de 268 cidades no total da chikungunya para essa faixa populacional: Maranguape, Iguatu e Caucaia. A primeira com incidência de 608,5 confirmações para cada grupo de 100 mil moradores e acumulado, entre janeiro e maio, de 876,4 ocorrências. A segunda, com 341,9 registros para 100 mil e acumulado de 472,5 nos 133 dias do ano.
Já Caucaia apresenta incidência de 271,9 casos pelo mesmo grupamento e 1.097,6 no acumulado, com 3.9 mil pacientes na soma do ano. Além deles, Governador Valadares e Teófilo Otoni, ambos em Minas Gerais compões os cinco primeiros lugares num ranking nacional.
Em relação à dengue, Maranguape e Iguatu também aparecem nas primeiras colocações. Sendo o primeiro com incidência em abril de 540,5 confirmações para cada 100 mil pessoas e na soma do ano, são 678,5 casos para cada 100 mil habitantes. Iguatu tem incidência de 208,0 ocorrências positivas para 100 mil pessoas.
A Secretaria de Saúde do Estado informa que o Ceará investe em ações importantes no combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor das duas arboviroses, além da zika. Entre elas, anunciadas pelo governador Camilo Santana, a liberação de incentivo de R$ 10 milhões para os municípios que atingirem os melhores resultados no enfrentamento às três doenças.
Para receber os recursos oriundos do Governo do Estado, cada cidade cearense precisa atender a critérios de execução das ações previstas no período de julho a dezembro de 2017.
Fonte: Diário do Nordeste