terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Com as chuvas, vem aí a temporada de escorpiões. Saiba o que fazer em caso de picada

Umidade e calor, esses são os maiores atrativos para um inseto que pode causar muitos problemas: o escorpião. Então, para evitar ataques, algumas dicas podem fazer a diferença.
Em uma tarefa simples do dia a dia, a telefonista Débora Santos acabou tendo uma surpresa nada agradável. “Ele estava dentro do sapato, quando eu cheguei para pegá-lo, quando eu peguei ele me picou e caiu”, revelou.
A partir disso, Débora fez o que todos devem fazer ao sofrer uma picada de escorpião. “Eu fui para o Hospital Geral e tive que tomar soro, porque doía muito”, acrescenta.
Na Capital, o centro de assistência toxicológica, que funciona no Instituto Doutor José Frota, atende em torno de 2.500 casos por ano. A espécie que mais ocorre no Ceará é aquela de cor alaranjada que mede entre 3 e 5 centímetros.
A farmacêutica do Ceatox, Rosa Freitas, lembra quem são as pessoas mais suscetíveis a ataques de escorpiões. “A picada é bastante dolorido e o grupo de risco são os menores de 6 anos e os idosos por conta da idade, que não tem muita defesa”, alerta.
Normalmente, esses insetos buscam as residência na procura por alimento, e as baratas estão em primeiro lugar na cadeia alimentar deles. “Eles ficam em ambientes úmidos, quentes, são um tipo de espécie que vive até 6 meses sem água, sem alimento e se alojam em banheiros, roupas, panos de prato”, esclarece.
Por isso toda a atenção é bem-vinda. Rosa Freitas dá algumas dicas para evitar uma picada do inseto. “As pessoas tem que manter a casa limpa, verificar entre os móveis se tem escorpiões, porque não tem venenos contra eles”, finaliza.
Em caso de ataque de escorpião, é importante manter a calma, aplicar uma compressa fria e imediatamente procurar uma Unidade de Saúde. O risco de letalidade da espécie predominante no Ceará é baixo.
Fonte: Tribuna do Ceará